Quem sou eu

Minha foto
...uma criatura magrela e um ser que deixa a desejar no quesito beleza; ao me ver tenho certeza que não darias nada por mim, mas ao levar um papo tenho certeza que pelo menos um dinheiro pro café,você vai dar !

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Olho mágico (e pra não dizer que não falei das flores)

Tenho um olho mágico,ele não é desse tipo de olho que se encontra em portas,falo do meu próprio olho,esse que se localiza na cabeça.Mas vá com calma,não quero fazer imaginar que só tenho um olho,tenho dois sim,pois acredite que apenas um deles é mágico.Posso logo explicar o motivo de chamá-lo olho mágico,com ele consigo ver aquilo que os outros não vêem,consigo ver aquela que os outros não vêem,por assim melhor dizer.É com ela que saio todas as manhãs,é ela que me faz rir no curto caminho,e mesmo já à tarde ela me diverte,usando sempre o mesmo vestido vermelho,meio curto,meio velho,essa menina pula d'um lado para o outro e como só um dos meus olhos é mágico (o esquerdo),facilmente ela se esconde e reaparece quando bem deseja,e nos lugares mais inesperados,se bem que...vindo dela,tudo pode se esperar,ela não vive sobre regras,não tem ninguém que a comande,ela aparece e desaparece quando quer.Outro dia me apareceu no meio da aula de história,subiu na mesa e a dançar se pôs,com aquelas caretas engraçadas que só ela faz.Não sou esquizofrênico,disso tenha certeza,o caso é mesmo difícil de explicar,pra entender tente ter a fantasia de uma criança,sim,como ela.Tão impossível é,que até de mim que sou sua única companhia,ela zomba às vezes.Prova disso é que uma vez dessas em que andávamos na rua,enquanto ela falava e segurava minha mão esquerda,passava uma senhora um pouco cheia de muita carne,ela deixou o assunto em que estávamos e simplesmente gritou:
- Como é gorda !!!
Constrangido mas achando engraçado eu disse a ela que não se deve nunca zombar dos gordos,a senhora por sua vez,me olhou,fechou a face e seguiu,só aí me dei conta de quê só eu havia escutado a tal declaração infantil,me virei e ela já não estava lá.Há ainda situações em que ela se põe a tirar o dia pra me chatear,fica a conversar comigo do meu lado direito mesmo sabendo que não posso vê-la,e faz perguntas sobre isso,me chama de esquisito e eu retruco dizendo que esquisita é ela,que aparece sempre com o mesmo vestido e a mesma cara,ela logicamente não gosta,e por isso,me sacaneia mais ainda,fica tocando a minha retina,eu,sem sentir dor,sinto apenas um certo nervoso.Fala enquanto eu tô conversando com alguém,e por mais que eu a ignore,não consigo sequer me concentrar no que a pessoa diz.E fico ali,feito um maluco balançando a cabeça em sinal de positivo e fechando meu olho esquerdo pra não enxergá-la.Mas mesmo com todas as suas manias que às vezes me irritam profundamente,ela é quem sempre está ali pra discutir as minhas ou nossas teorias,pra papo furado de vez enquando,pra somente observar o céu,e mesmo em lugares públicos,pra estar junto comigo,só pra estar,sem nada dizer.Acho que ela seria o que alguns chamam de alma gêmea,pois tudo que diz,eu acho graça e entendo,vice-e-versa com recíproca verdadeira e tudo mais.

Eu já me peguei impressionado com a tal pessoinha,foi exatamente na vez em que pássavamos em frente à casa de uma certa moça,próxima a rua onde reside um velho amigo.A casa possuía um muro desses que protegem a propriedade mas não tiram a visão,entende?! No seu interior tinha um grande jardim,e eu comentei descompromissado:
- Olha só,isso é que é um jardim na responsa,é flor q não acaba !
- Também quero ver,me levanta,disse ela.
Já que a parte do muro,que permitia a visão interior,era composta por uma grade que começava na metade,ela,por seu pouco tamanho,não conseguia ver o tal jardim.eu a levantei e ela começou a observar.
- Caramba,ela disse já impressionada.
- Já tá bom?! cê tá pesadinha,eu disse.
- Espera,é muita flor!!!
- Era só o q me faltava,agora vô ter q ficar aqui esperando você olhar todas essas flores?!

Com o braço cansado,decidi colocá-la na base da grade,fazendo ela mesma,segurar-se com as mãos na grade.Era fascinante o seu olhar estático para aquelas flores,nunca tinha a visto assim,tão tranquilizada,tão calma,parecia mesmo observar todas as flores,uma por uma.Aí eu pensei até em tirar uma foto pra colocar no blog com uma mensagem embaixo,mas logo lembrei que só EU podia ver aquela linda cena,castigo ou presente,era maravilhoso.
Depois de uns seis minutos ali,a moça,dona da casa e do jardim,veio ver o que eu queria,eu disse pra minha menina:
- Vamo logo,a mulher tá vindo aqui !

- Deixa ela vir,e peça algumas dessas flores pra mim,disse toda tranquilona.
Sem a mínima vontade de fazer aquilo,eu falei que voltaríamos depois e eu pediria quantas flores ela quisesse,mas agora precisava ir pois já estava atrasado.E adiantou?!
A moça se aproximou,abriu o portão,se dirigiu a mim e disse:

- Boa tarde,gostou do jardim?!
Eu,querendo dizer:
- Nem tanto moça,tô plantado aqui por causa duma pessoinha invisível pra senhora e q eu vejo com um olho só.
Acabei dizendo:
- Boa tarde,sim,gostei muito,meu pai gosta de plantas,tem um jardim também.(bem porcaria comparado a esse aqui,eu pensei)
- Quer levar algumas flores?
- Não,não.(nesse instante a menina me balançava o braço,dizendo para eu aceitar o convite)

- E algumas mudas,para o seu pai? acho que ele gostaria,ela insistia.
Já não entendia a senhora,parecia querer se livrar das plantas.
- Não senhora,nem tem como,tô indo pra casa dum amigo meu,e num dá pra levar agora não.
- Ah,entendo,ela falou já desistindo.

Olhei pro lado disfarçadamente e a menina já não estava lá,pensei ter desaparecido por estar aborrecida ou só triste.Me despedi da moça e continuei andando,a menina nada de aparecer,já tava ficando triste com aquilo e pensava em voltar e pegar uma flor,eu dizia:
- Poxa,me desculpa mesmo,dá uma aparecida aê !
e nada...
- Pô,tú sabe q sô sempre eu q me dô mal nessas situações...
e nada...
- Ninguém pode te ver,aê vão ficar falando: "olha aquele marmanjo com a florzinha na mão"
Aí,eu escuto o portão da senhora bater,eu me viro e,nada,tudo que vejo é uma rua vazia continuo andando e faço a curva numa esquina.Escuto um "oooi" daqueles que são tipo "tô aqui",era ela.Pergunto se ela me desculpa,ela diz:

- O quê,pelo quê?
- Você tava aqui comigo desde quando saí d lá?
- Não,tava pegando a nossa flor,ela diz sacando de trás do vestido uma tulipa.

- Onde e como você arranjou essa flor??
Ela me contou que quando percebeu que eu não pegaria a flor,entrou e surrupiou a tulipa,eu disse que isso era furto e ela disse rindo:

- Só peguei o convite que ela te deu emprestado !
Danada,ficou feliz o dia inteiro,com aquela tulipa que ainda hoje carrega consigo,aquela é uma flor que me deixa impressionado,pois,assim como ela,a danada num envelhece,num murcha,num faz nada.
Lembro-me como se fosse ontem,da manhã em que ela apareceu.
Eu acordava como sempre,numa preguiça tamanha,tava nesses dias em que você acha a cama o melhor lugar do mundo e que se sair,o mundo acabará.Então no meu ritual pra acordar,me espreguiço pra lá,espreguiço pra cá,dou aquela aberta de leve com o olho esquerdo em direção a janela pra ver se o sol tá forte,viro pro outro lado e:
- CACETE !!! (desculpe a expressão,mas foi o q houve,queria ver se fosse contigo)
Imediatamente eu me jogo e caio ao mesmo tempo pro lado inverso ao daquela figura do vestido vermelho,esfrego os olhos,abro-os de novo,e ela tá lá,abro só o direito-sumiu,esquerdo-tá lá (por esse esqueminha dá pra perceber como descobri qual é o olho mágico) ,nas primeiras horas eu não sabia se contava pra alguém ou não,decidi pelo não,e,aos poucos ela começou a falar e começamos a conversar,e mesmo ela não me explicando de onde veio ou quem era,eu aprendi a conviver com ela,e vivemos momentos maravilhosos como os citados lá em cima.[...]


todos os dias,vários outros momentos me levam a acreditar que ela não é só uma espécie de amiga imaginária,e se for por esse caminho,gostaria de pensar então que ela é,na verdade,meu anjo da guarda,é,sim.

Ela é meu anjo do vestido vermelho,meio curto,meio velho,que aos seus olhos é invisível e eu só consigo ver com um olho só,o olho mágico.

Allan Bonfim.

3 comentários:

  1. Texto MAGICO..
    Li ele inteirinhooo
    aguardando anciosa o fim
    que não me decepcionou em nada!!
    Parabéns pelo texto!!
    E meu blog é super pessoal
    tenho que ter algo para desabafar
    SIAUHISUAHIUSAH
    Beijooos

    ResponderExcluir
  2. uaau, que texto!
    qdo vi disse eiita é mt grande e deu uma preguicinha, mais qdo comecei a ler, tava tão bom que acabou e nem percebi :)
    tbm adoroo flores, e realmente o texto é magico!

    ResponderExcluir
  3. muito, muito, muito bacana!
    texto super verossímil! mas com um quê de fantástico, na medida!
    vc tem ideias ótimas, só precisa de um pouco de... polimento na linguagem. ;)

    beso

    ResponderExcluir